Rodolpho Riskalla vence no CPEDI3* em Mannheim e vem forte na briga por uma vaga no Mundial 2018

Rodolpho Riskalla e Don Henrico

Brasileiro que visa integrar a equipe brasileira de Adestramento Paraequestre nos Jogos Equestres Mundiais 2018, superou a amazona olímpica holandesa Sanne Voets, ouro na Rio 2018.

O sábado, 5/5, foi especial para o cavaleiro Rodolpho Riskalla e o hipismo brasileiro na modalidade Adestramento Paraequestre no Concurso de Internacional 3* – CPEDI3* no Torneio de Maio em Mannheim, na Alemanha. Montando Don Henrico, um hannoverano de 15 anos, o cavaleiro Rodolpho Riskalla, que integrou o Time Brasil na Rio 2016, foi o grande campeão da prova Grau IV com nada menos que 71,917% de aproveitamento, superando demais 14 conjuntos top mundiais. Em 2º lugar chegou a holandesa Sanne Voets, medalha de ouro individual na Rio 2016, prata individual e ouro por equipes nos Jogos Equestres Mundiais, com 70,625%. A 3ª colocação ficou com Jose Letartre com Swing Royal Ene HN, 69,625%, pela França.

Trajetória de superação e vitórias

Rodolpho, 33, cavaleiro de adestramento desde a infância, tinha o sonho de integrar a equipe brasileira de Adestramento na Rio 2016. Morando em Paris, na França, em meados de 2015, perdeu seu pai precocemente, veio a São Paulo e duas semanas depois contraiu uma grave doença (meningite bacteriana) e lutou muito pela vida. Venceu, mas não foi fácil. Começou o tratamento em São Paulo e depois em Paris, ao final acabou amputando a parte inferior das duas pernas, a mão direita e parte dos dedos da outra.

Sempre com espírito de luta ímpar foi se recuperando, reaprendeu a andar, se reaproximou dos cavalos e voltou a montar no início de 2016 e meio ano depois realizou o sonho de defender seu país nos Jogos Paralímpicos Rio 2016 fechando em 10º lugar na competição Grau III (hoje Grau IV).

Morando em Paris e cada vez mais adaptado às suas novas proteses Ottobock, com as quais está retomando o hábito de corridas, Rodolpho trabalha na empresa Dior e mantém sua dura rotina de treinos. Para tanto, o cavaleiro tem um craque a sua disposição: o cavalo Don Henrico, cedido pela amiga, patrocinadora e amazona olímpica alemã Ann Kathrin Linsenhoff.

De olho nos Jogos Equestres Mundiais 2018

Com Don Henrico, o brasileiro que visa defender o Time Brasil nos Jogos Equestres Mundiais 2018 em Tryon (EUA), entre 11 e 23/9, vem competindo com sucesso em diversos internacionais e a vitória em Mannheim foi, sem dúvida, especial. Com o resultado em Mannheim, Rodolpho garantiu o 2º índice técnico para os Jogos, o primeiro foi em Deauville, na França, entre 6 e 8/4. Há uma semana, em 25 e 29/4, no Internacional de Adestramento CDI1* Horses and Dreams, em Hagen, na Alemanha (competindo com atletas sem deficiência), Rodolpho levou Don Henrico ao 8º posto na reprise Intermediate I e foi 10º na St George. Nesse ritmo, o brasileiro vem com tudo e boas chances de brigar por uma medalha nos Jogos Equestres Mundiais 2018.