Camaquã classifica mais oito finalistas para o Freio de Ouro

Camaquã - Sorte Grande da Boa Vista - Crédito Fágner Almeida ABCCC

Quatro dias e muitas etapas até chegar a fase final. Morfologia, Andaduras, Figura, Volta sobre patas e Esbarradas, Mangueira e Campo. Entre os dias 7 e 10 de junho, o Parque de Exposições Dorval Ribeiro, em Camaquã (RS) recebeu, dia após dia, as avaliações que levam mais oito classificados até a final do Freio de Ouro na Expointer 2018.

O grupo de finalistas da semifinal da Região Sul terminou liderado pela fêmea Sorte Grande da Boa Vista e pelo macho Único dos Tapes.

 

Camaquã - Sorte Grande da Boa Vista - Crédito Fágner Almeida ABCCC
Camaquã – Sorte Grande da Boa Vista – Crédito Fágner Almeida ABCCC

Foram 72 inscritos passando pela supervisão do técnico Carlos Marques Gonçalves Neto. No julgamento, a categoria de fêmeas ficou sob a responsabilidade de Jorge Aginelo do Nascimento, Rodrigo Rodrigues Teixeira e Telmo Raimundi Ferreira. Já na categoria dos machos, o trio de jurados foi composto por Douglas Leite Gonçalves, Fábio Muricy Camargo e Rodrigo Albuquerque Py.

 

Enfrentando as dificuldades naturais de uma prova avaliada em etapas, a categoria das fêmeas vivenciou uma constante troca de posições no decorrer da disputa. Sua vencedora, Sorte Grande da Boa Vista, foi buscando a diferença ponto a ponto, chegando à liderança somente na prova Bayard-Sarmento, penúltima etapa, de onde não saiu mais. Conduzida por Daniel Teixeira, a égua leva o nome do seu criatório, a Fazenda Boa Vista de Vacaria, à grande final.

 

Já no caso da jornada de Único dos Tapes, a história foi um pouco diferente. Mesmo com a disputa acirrada, o garanhão que representa a Cabanha Seni, de Cruzeiro do Sul, já figurava entre as primeiras posições desde o início das etapas funcionais, de onde conseguiu sair com a liderança ao fim da prova. O cavalo teve a montaria de José Fonseca Macedo.

 

Na avaliação daqueles que conduziram as rédeas, os primeiros colocados também se destacaram. Daniel Teixeira, nas fêmeas, e José Fonseca Macedo, nos machos, foram eleitos os Ginetes Destaque da semifinal.

 

O espaço histórico de uma prova como o Freio de Ouro vem sendo conquistado, entre outros fatores, pelo nível de complexidade da avaliação. Durante as etapas que selecionam os animais para a grande final da modalidade, cada detalhe avaliado influencia nos décimos pontuados. Segundo Telmo Ferreira, “são muitos os detalhes que precisam ser observados para que seja feita uma avaliação justa. Além da atenção que nós precisamos ter, a prova é rápida e tem muitos movimentos para observarmos. Muitas vezes acontece de um dos jurados complementar a visão do outro”.

 

Na avaliação de fêmeas, segundo Telmo, não houve diferença de critérios. O que essencialmente pode mudar no resultado é a diferença de força e resistência dos animais: os machos são fisicamente mais fortes e as éguas são mais resistentes.

 

Curiosidade para alguns e conhecido por outros, a avaliação durante a Classificatória é feita em etapas que julgam desde a morfologia até a funcionalidade dos animais. Para cada prova, os critérios a serem observados mudam. Dinâmicas, as modalidades funcionais exigem atenção redobrada quando o assunto é julgamento. Habilidade, força, progressão, temperamento, docilidade, habilidade lateral, aptidão vaqueira são algumas dos pontos que o trio de jurados precisa acompanhar durante a execução de cada competidor.

 

Confira o resultado

 

FÊMEAS

 

1º lugar

Sorte Grande da Boa Vista, criador Fazenda Boa Vista e expositor Fábio Camargo, Cabanha Boa Vista, Vacaria/RS

Ginete: Daniel Waihrich Marim Teixeira

Média: 19,488

 

2º lugar

Ocasião 734 de Nazareth, criador e expositor Luiz Antônio Martins Bastos, Estância Parayso, Uruguaiana/RS

Ginete: Claudio Dos Santos Fagundes

Média: 19,249

 

3º lugar

Fortuna do Carapuça, criador e expositor Carlos Alberto Pereira de Souza, Cabanha Dom Miguel, Taquari/RS

Ginete: Fábio Teixeira da Silveira

Média: 19,163

 

4º lugar

Viragro Tirana, criador e expositor Viragro Agropecuária Ltda, Cabanha A Tala, Dom Pedrito/RS

Ginete: José Fonseca Macedo

Média: 19,001

 

MACHOS

 

1º lugar

Único dos Tapes, criador João Francisco Bade Wolf e expositor RST Emp. Imob. e Agronegócios Ltda – Me, Cabanha Seni, Cruzeiro do Sul/RS

Ginete: José Fonseca Macedo.

Média: 19,099

 

2º lugar

Hino da Saff, criadores Ademir e Fábio da Silva e expositores Ademir e Fábio da Silva, Gustavo e Jonathan Desordi, Cabanha Saff e Reponte, Joinville/SC

Ginete: Everton de Deus Valim

Média: 18,703

 

3º lugar

Quilero Varadero, criador Eduardo Móglia Suñe e expositor Eduardo Móglia Suñe e Jorge Rosas Demiate Júnior, Cabanha Quilero e Cabanha Santo Onofre, Bagé/RS

Ginete: Fábio Teixeira da Silveira

Média: 18,690

 

4º lugar

Guerreiro do Rolador, criador e expositor Alcides Hammer Schmitt, Sítio Buriti, Santo Cristo/RS

Ginete: Marcio Maciel

Média: 18,575

 

Fotos: Fagner Almeida/ABCCC/Divulgação

Texto: Julia de Andrade/ABCCC

 

Mais informações sobre a ABCCC

 

Site: www.abccc.com.br

Facebook: www.facebook.com/cavalocrioulooficial